sexta-feira, 4 de março de 2011

O INÍCIO DE FIM - PT

Aos poucos a Justiça está desmontando o Partido dos Trabalhadores no estado do Piauí. A cassação do prefeito de Esperantina, Francisco Antonio Filho foi mais um capítulo nessa história que começou após a eleição de 2004. Já passam de cinco, os prefeitos do PT cassados pela Justiça Eleitoral e Justiça Federal.

Todos por abuso do poder econômico, político, desvio de recursos e não prestação de contas. Foram cassados dentre outros, os prefeitos de Alagoinha, São Pedro, Nossa Senhora dos Remédios, São Raimundo Nonato e, por último, Esperantina. Até um vereador da capital, Décio Solano teve o mandato cassado, fato que surpreendeu a todos, inclusive a imprensa. Na esteira das punições, nem o maior líder político do partido, o, senador Wellington Dias e o líder espiritual, padre Herculano Negreiros, escaparam. Dias foi multado pelo TRE em 100 mil reais, por abuso do poder na eleição de 2006. Recorreu ao TSE que manteve a punição, alterando apenas o valor da multa de 100 para 30 mil reais.

Negreiros, prefeito de São Raimundo Nonato, foi cassado pela Justiça Federal por não prestar contas de verbas do Fundeb na sua 1§ gestão. Recorreu e continua no cargo. Até mesmo quem não é político, mas filiado ao partido acabou sendo punido. É o caso da professora Lucile Moura que foi apenada com o instituto da inelegibilidade por oito anos e multa de 30 mil reais no processo que cassou o prefeito de Esperantina. O deputado Merlong Solano por pouco não fica inelegível. Foi salvo no TRE pelos votos dos magistrados Valter Rebelo, Manoel Dourado e do relator do processo de Esperantina, juiz Pedro Alcântara Macedo.

AvaliaçãoEsses fatos tem deixado os dirigentes petistas preocupados. A coluna ouviu o presidente, deputado Fábio Novo. Ele declarou que, o partido respeita as decisões judiciais, mas discorda. Por isso, tem recorrido de todas. Para Fábio Novo, especialmente no caso de Esperantina, houve injustiça. Não há, segundo ele, em todo o processo, alguém, que tenha dito ter sido beneficiado em troca de votos. Além disso, o partido vai pedir a anulação do julgamento, porque o juiz Luiz Viana não poderia participar da sessão, porque havia quorum suficiente. “Sua convocação foi ilegal”, diz Novo. O caso vai ao TSE.

Voto/períciaQuem viu, leu ou ouviu o voto de Minerva, de 10 laudas do presidente do TRE,desembargador Raimundo Eufrásio Filho, que cassou o mandato do prefeito de Esperantina, Francisco Antonio Filho, se convenceu de que ele fez uma verdadeira perícia com uma lupa no processo. Ele descobriu coisas que nem o relator conseguiu enxergar com um óculos fundo de garrafa. Foi um voto eminentemente técnico com elevado embasamento jurídico. Tão conciso que o PT vai tentar anular o julgamento por outro motivo: o voto do juiz Luiz Gonzaga Soares Viana Filho.
com informações do diario do povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário